O que é PDV?

29 de agosto de 2017 Ricardo Cici

4 dicas para otimizar as operações de frente de caixa e gerar negócios em seu estabelecimento a partir do PDV

No dia a dia dos negócios, nos deparamos com tantos termos, siglas e nomenclaturas, que às vezes, acabamos nos confundindo. Pensando nisso, no artigo de hoje preparamos um material especial que irá lhe ajudar a compreender um dos conceitos mais utilizados no meio empresarial brasileiro: estamos falando do PDV. Certamente, você já deve ter ouvido falar de PDV por aí, mas sabe, realmente, o que é PDV?

Se ainda tiver dúvidas, não se preocupe. Nos acompanhe e aproveite para ver algumas dicas certeiras que irão melhorar a eficiência de seu negócio!

cta-confere

Afinal, o que é PDV?

Dentro do universo do varejo, o PDV pode ter duas definições principais. Na primeira delas temos o Ponto de Venda que, de modo geral, se refere a qualquer local físico em que determinados produtos são oferecidos durante um tempo determinado, visando a decisão de compra e a experiência de consumo de uma marca.

Na segunda acepção, PDV se refere à Frente de Caixa, ou seja, ao terminal utilizado por um vendedor ou operador de caixa, no qual se reúnem alguns equipamentos voltados para contabilização, aferimento e venda final de um produto em uma loja ou estabelecimento comercial. O alinhamento dos processos de um PDV, vale salientar, é fundamental para que você possa organizar as finanças de sua empresa.

Neste artigo, iremos nos concentrar no conceito de PDV enquanto Frente de Caixa. Veja agora quais são os principais equipamentos que compõem um PDV.

Quais equipamentos compõem um PDV?

Quando falamos dos equipamentos de um PDV, ou seja, dos periféricos que compõem uma frente de caixa, é importante levar em conta de que tudo depende das necessidades e perfil de seu estabelecimento comercial. De todo modo, dentre os itens essenciais de um PDV, podemos listar:

Impressora Fiscal

Equipamento responsável pela emissão dos cupons fiscais e que atua em conjunto com o sistema Emissor de Cupom Fiscal (ECF). Apesar de semelhante a uma impressora comum, a impressora fiscal possui memória para armazenar um histórico de cupons fiscais criados.

Considerada de baixa segurança fiscal, a Impressora ECF vem sendo substituída, em alguns estados, por novos sistemas para tributação de operações comerciais. É o caso de São Paulo, por exemplo, que aderiu ao SAT. Neste modelo, o comerciante precisa emitir o CF-e (Cupom Fiscal Eletrônico) em impressoras não fiscais.

Leitor de Código de Barra

Imagine ter que digitar manualmente cada item de uma compra extensa. O leitor de código de barra tem como intuito, justamente, otimizar os processos de venda de um estabelecimento comercial.

Terminal POS

Por fim, os terminais POS (ou PoS) também podem se referir a mais de um conceito no ambiente comercial brasileiro. De modo sintético, é possível resumir o termo como o local em que são realizadas as transações de venda em si. Usualmente, quando pensamos em POS, estamos falando do conjunto entre uma caixa registradora + leitores de cartão de crédito.

Além destes equipamentos, será fundamental buscar bons softwares para o funcionamento otimizado de suas frentes de caixa. Lembre-se: o PDV é uma combinação entre equipamentos periféricos + sistemas ágeis para a condução das operações de venda e contabilização das entradas diárias. Faça uma escolha adequada ao perfil de seu negócio, avaliando as opções que podem ser mais vantajosas para o seu estabelecimento.

Como escolher os softwares ideais para os PDVs de meu negócio?

Novamente aqui, tudo irá depender do perfil de sua empresa. Há Sistemas de Gestão (ERP) que, além de organizar os departamentos centrais de seu negócio, oferecem ainda plataformas para Frentes de Caixa bastante robustas. Em outros casos, pode ser mais vantajoso adquirir ferramentas separadas.

Tratando especificamente de cartões, na hora de realizar todos os processos de conciliação das transações realizadas em um dia, você pode contar com a Confere Cartões para efetivar de modo automatizado uma infinidade de operações – do gerenciamento de chargebacks ao acompanhamento das taxas de bandeiras.

Algumas dicas para turbinar sua frente de caixa

Agora que você já sabe os pontos centrais sobre o que é um PDV, acompanhe algumas dicas para tornar suas frentes de caixa ágeis, gerando mais entradas para o seu negócio.

Combine equipamentos e softwares de excelência

Nunca é demais reforçar: a força de um bom PDV reside na combinação entre equipamentos periféricos de excelência + sistemas e softwares completos e ágeis para a condução de suas vendas diárias.

Ofereça várias formas de pagamento

Deixar de ofertar formas diversificadas de pagamento hoje é, sem dúvidas, perder dinheiro. Conte com um terminal POS robusto em seu PDV, disponibilizando uma série de opções de pagamento no cartão.

Ofereça treinamento para os seus colaboradores

O fator humano também é preponderante para que você monte frentes de caixa ágeis e com redução de erros nos processos de venda. Por isso mesmo, invista no desenvolvimento de seus colaboradores sempre que necessário.

Use a tecnologia sempre a seu favor

Para concluir, como sempre falamos aqui, os empreendedores precisam saber utilizar a tecnologia a seu favor. Quando pensamos em PDV, há uma série de opções (tanto em soluções digitais, quanto em periféricos) para tornar as operações de frente de caixa de seu estabelecimento mais eficientes. Busque as que mais se encaixam no perfil de seu negócio e mãos na massa!

E aí, gostou do artigo de hoje? Agora que você já sabe o que é PDV, que tal comentar conosco e dizer o que achou deste artigo? Sua opinião é sempre muito importante para nós.

   

cta-confere